[Avaliem][Conto] Oniscientes

Ir em baixo

[Avaliem][Conto] Oniscientes Empty [Avaliem][Conto] Oniscientes

Mensagem por GustavoCS em Sex Dez 23, 2011 1:59 pm

Bom, eu estou sem entrar na MRM a um bom tempo, estou sem tempo para nada, vocês devem ter visto na "MRM" sobre o meu Blog no Nerd Vagal, lembrando que eu posto no la no Blog, e quem posta aqui no forum é um primo meu. Bom, eu escrevi um conto a um tempo atrás e quando terminei lembrei da MRM, e venho postar para vocês o meu conto.



Oniscientes

“Semeio-o no solo do conhecimento. Alimente-se, rega sua seiva, encha sua alma. O conhecimento nos fortalece, ajuda-nos a crescer. Recolha nossas lembranças, tudo que aprendemos, não é nada perto do que temos para aprender. Cresça, de seus frutos, e cresça mais e mais, o conhecimento não tem fim. Cresça ao céu, lá encontraremos a graça” sussurrava o vento da árvore mais velha.
A vizinhança batia na porta do pai do falecido músico, oferecendo conforto aos seus sentimentos.
E ano após ano, enquanto choravam de tristeza, “veja o milagre, o renascer, a árvore da vida brota no solo do conhecimento, a árvore da vida alcançará a graça”, sussurrava o vento da árvore mais velha a todos os entristecidos que ouviam apenas suas lagrimas.
E ano após ano, enquanto choravam de tristeza, a muda regava sua seiva, enchia sua alma, soprava seu conhecimento como música e crescia em busca da graça. Suas folhas e frutos alimentavam as outras vidas e mudas.
“Semeio-o no solo do conhecimento. Alimente-se, rega sua seiva, encha sua alma. O conhecimento nos fortalece, ajuda-nos a crescer. Recolha nossas lembranças, tudo que aprendemos, não é nada perto do que temos para aprender. Cresça, de seus frutos, e cresça mais e mais, o conhecimento não tem fim. Cresça ao céu, lá encontraremos a graça” sussurrava o vento da árvore músico.
A vizinhança batia na porta do pai do falecido pintor, oferecendo conforto aos seus sentimentos.
E ano após ano, enquanto choravam de tristeza, “veja o milagre, o renascer, a árvore da vida brota no solo do conhecimento, a árvore da vida alcançará a graça”, sussurrava o vento da árvore músico a todos os entristecidos que ouviam apenas suas lagrimas.
E ano após ano, enquanto choravam de tristeza, a muda regava sua seiva, enchia sua alma, soprava seu conhecimento e crescia como pintura em busca da graça. Suas folhas e frutos alimentavam as outras vidas e mudas.
“Semeio-o no solo do conhecimento. Alimente-se, rega sua seiva, encha sua alma. O conhecimento nos fortalece, ajuda-nos a crescer. Recolha nossas lembranças, tudo que aprendemos, não é nada perto do que temos para aprender. Cresça, de seus frutos, e cresça mais e mais, o conhecimento não tem fim. Cresça ao céu, lá encontraremos a graça” sussurrava o vento da árvore pintor.
A vizinhança batia na porta do pai da falecida dançarina, oferecendo conforto aos seus sentimentos.
E ano após ano, enquanto choravam de tristeza, “veja o milagre, o renascer, a árvore da vida brota no solo do conhecimento, a árvore da vida alcançará a graça”, sussurrava o vento da árvore pintor a todos os entristecidos que ouviam apenas suas lagrimas.
E ano após ano, enquanto choravam de tristeza, a muda regava sua seiva, enchia sua alma, soprava seu conhecimento e crescia em busca da graça. Suas folhas e frutos caiam como balé e alimentavam as outras vidas e mudas.
“Semeio-o no solo do conhecimento. Alimente-se, rega sua seiva, encha sua alma. O conhecimento nos fortalece, ajuda-nos a crescer. Recolha nossas lembranças, tudo que aprendemos, não é nada perto do que temos para aprender. Cresça, de seus frutos, e cresça mais e mais, o conhecimento não tem fim. Cresça ao céu, lá encontraremos a graça” sussurrava o vento da árvore dançarina
A vizinhança batia na porta do pai do falecido escritor, oferecendo conforto aos seus sentimentos.
E ano após ano, enquanto choravam de tristeza, “veja o milagre, o renascer, a árvore da vida brota no solo do conhecimento, a árvore da vida alcançará a graça”, sussurrava o vento da árvore dançarina a todos os entristecidos que ouviam apenas as suas lagrimas.
E ano após ano, enquanto choravam de tristeza, a muda regava sua seiva, enchia sua alma, soprava seu conhecimento e crescia em busca da graça como uma aventura. Suas folhas e frutos alimentavam as outras vidas e mudas.
“Semeio-o no solo do conhecimento. Alimente-se, rega sua seiva, encha sua alma. O conhecimento nos fortalece, ajuda-nos a crescer. Recolha nossas lembranças, tudo que aprendemos, não é nada perto do que temos para aprender. Cresça, de seus frutos, e cresça mais e mais, o conhecimento não tem fim. Cresça ao céu, lá encontraremos a graça” sussurrou todas as árvores ao pai, que parará de chorar ao falecer diante as mudas.

Gustavo Caum e Silva


Espero que tenham gostado. Comentem ^^
GustavoCS
GustavoCS

Mensagens : 11
Data de inscrição : 14/07/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum